Um Blog de David Ponte. Contacto: dav_russ@clix.pt.

quinta-feira, maio 4

O poeta criava insaciavelmente devaneios na betesga da aldeia, cada figura que entrava era expeditamente espiada e rapidamente moldada na sua cabe├ža. Na rua o calor cerceava. Na betesga. O poeta bebia cerveja compulsivamente.

[David Ponte]